Educação Médica

Estudo: Condições Pedagógicas das Escolas Médicas Portuguesas

Tendo em consideração o reconhecimento internacional sobre a relevância de transformar a Educação Médica e planear de forma integrada e sustentável a formação de médicos e os sistemas de Saúde, considera a ANEM que importa estudar a situação portuguesa, analisando, entre outros factores, se as Escolas Médicas estão dotadas de capacidade formativa adequada ao actual número de ingressos por ano.

Neste sentido, o Grupo de Trabalho em Educação Médica concluiu em 2014 um Estudo, que se divididiu em três componentes: 1) análise da evolução do número de ingressos nas Escolas Médicas portuguesas, 2) apreciação qualitativa das condições pedagógicas das Escolas Médicas, nomeadamente os questionários de satisfação sobre as condições pedagógicas das Escolas Médicas portuguesas e 3) apreciação quantitativa das condições pedagógicas para o ensino clínico, nomeadamente os rácios estudante-tutor das Escolas Médicas portuguesas.

Ver atigo

Conclusões

A análise das condições pedagógicas das Escolas assume relevância num contexto de aumento progressivo do número de estudantes ao longo os últimos vinte anos, por forma a aferir a sua capacidade de resposta para manter a qualidade da Educação Médica em Portugal.

O resultados apresentam uma realidade díspar a nível nacional, em que as Escolas com maior número de ingressos e mais anos de funcionamento apresentam menor satisfação estudantil que as Escolas com menor número de ingressos e menos anos de funcionamento. As Escolas Médicas respondem diferencialmente às exigências de um elevado número de ingressos, tendo diferentes capacidades de resposta e adaptabilidade.

Entre o ensino em meio não clínico, o ensino em meio clínico e as condições de estudo e avaliação, o ensino em meio clínico apresenta particular descontentamento por parte dos estudantes, e revela-se numa média nacional de 7,53 estudantes por tutor, nas UCs em sistema tutorial, com diferenças estatisticamente significativas entre as várias Escolas Médicas (desde 18,5 na FMUC até 2,55 na NMS|FCM). De facto, um rácio estudante-tutor elevado encontra-se directamente relacionado com insatisfação estudantil para com o ensino em meio clínico. Não existem Escolas com satisfação estudantil elevada e rácio estudante-tutor acima da média nacional.